domingo, 20 de dezembro de 2009

Jogador são-paulino é alvo da mais orquestrada reação homofóbica da história do futebol brasileiro

Não importa muito se Richarlyson é ou não é homossexual _ele diz que não é, e isso deveria bastar _ o que importa é que o atleta está sofrendo a maior perseguição homofóbica já observada no futebol brasileiro. O jogador foi ameaçado de morte e, mesmo ouvindo 50 mil vozes gritando ofensas no campo, tem entrado de cabeça erguida no campo e feito seu trabalho.

Imagine o que são 50 mil vozes de SEU PRÓPRIO TIME _e não do adversário, como esperado_ gritando ofensas a um único jogador? E o motivo é aquele que nós todos conhecemos tão bem: parte da torcida acredita que o jogador seja homossexual. E essa torcida não quer um homossexual em seu time. Por isso pressiona em massa para que ele saia do São Paulo Futebol Clube. Mais uma vez é bom que se diga: não importa se ele é ou não homossexual, o que importa é que Richarlyson está sofrendo o mais agressivo levante homofóbico dirigido por um enorme grupo a uma única pessoa. E ele tem enfrentado isso com muita coragem.

Recentemente foi fotografado usando um longo aplique de cabelos e essa imagem aumentou muito o ódio dos torcedores ao jogador. Richarlyson já disse que não teme a reação dos torcedores e que pode tirar o aplique a qualquer momento. Neste sábado, 19, em um jogo beneficente que ele participará no interior de São Paulo, o jogador deverá falar sobre a polêmica, já que QUATRO emissora de televisão mandarão equipes apra cobrior a partida que pretende arrecar leite para crianças carentes.

Os dirigentes do clube estão dando aula de profissionalismo: "Não há situação nenhuma envolvendo o Richarlyson. O clube é dirigido de dentro para fora, a gente não resolve nada porque disseram algo na internet", afirmou Marco Aurélio Cunha, dirigente de futebol do clube.

O cartola assegurou ainda que não pedirá ao jogador uma mudança no visual para evitar maiores problemas. Disse que "o São Paulo o respeita e o considera". "Não temos de pedir nada. O Richarlyson e os demais têm de cumprir seus deveres de atleta, só isso", acrescentou. E ele tem cumprido com uma dose extra de dignidade.




fonte: http://mixbrasil.uol.com.br/lifestyle/esportes/richarlyson-e-vitima-do-maior-ataque-homofobico-em-massa-ja-observado.html

Um comentário:

Rennan disse...

É chocante ver esse tipo de atitude homofóbica dos torcedores!

O que mais me instiga é que é comum ver jogadores de futebol envolvidos em escândalos com travestis e não ocorre nenhum tipo de atitude como essa de vaias e xingamentos dentro do estádio.

Por que foi diferente com Richarlyson? Será que foi pq usar um aplique o deixa feminino demais? Então quer dizer que "sair" com travestis não te "torna" gay, mas usar cabelos longos sim?!

Não tenho nenhum orgulho do futebol brasileiro de atualmete... ele só tem reproduzido violência e homofobia.